Esta é, provavelmente, a selfie mais perigosa do mundo

Daniel Dobson, de 33 anos, estava a visitar Pyongyang (Coreia do Norte) quando se deparou com um desfile militar – um dos passatempos locais mais populares. O turista britânico, originário de Manchester (Inglaterra), mas a viver em Pequim (China), não pensou duas vezes: fez uma selfie em que exibe dois dedos em “V” diante de um tanque de guerra do regime comunista, o mais fechado do mundo.

“V” da vitória? Não, no Reino Unido esse sinal com os dedos é uma manifestação hostil, agressiva. A ousadia em forma de insulto levou vários jornais a apelidá-la da selfie “mais perigosa do mundo”. Segundo Daniel, nada premeditado.

“No momento, isso realmente não me passou pela cabeça. Queria mais um gesto pacífico por causa do contexto”, disse o britânico, segundo o “Mirror”.

“Depois de alguns dias a seguir regras e a ser respeitador, foi um alívio estar fora do alcance dos guias norte-coreanos, e estou feliz com esse subtil acto de desafio”, concluiu o turista, que registou a visita no seu canal no YouTube.

Certamente, o insulto do turista não foi compreendido. Caso contrário, Daniel teria sérios problemas para deixar a Coreia do Norte.