As viseiras são eficazes para prevenir a COVID-19?

Especialistas americanos propuseram o uso de viseiras como forma de prevenir o contágio do coronavírus e apontaram diversas vantagens do utensílio.

Enquanto muitos compram ou improvisam máscaras para cobrir as vias nasais e a boca, a viseira pode inclusive defender as orelhas para se evitar a infecção.

“As viseiras, que se podem produzir e distribuir de forma rápida e acessível, deveriam incluir-se como parte das estratégias para reduzir de forma segura e significativa a transmissão no espaço comunitário”, afirmaram três médicos da Universidade de Iowa (EUA), publicou o portal MedicalXpress.

Para garantir maior eficácia, a viseira deve ir além do queixo, cobrir as orelhas e não deixar nenhum brecha entre a testa e a parte superior da viseira.

Entre as suas vantagens, os pesquisadores destacaram:

  • São reutilizáveis, já que podem ser lavados com água e sabão ou desinfetantes comuns.
  • Costumam ser mais cômodos que as máscaras e formam uma barreira que evita o toque ao rosto.
  • Não é necessário remover para se comunicar e o rosto de quem usa fica visível.
  • Contudo, ainda não foram feitos testes em grande escala que possam garantir total eficácia do artefato na prevenção.

Mas numa simulação demonstrou-se que “as viseiras reduzem a exposição viral imediata em 96% quando são usados por um agente da saúde a uma distância de até 50 cm de uma pessoa tossindo”, afirmaram os especialistas. Já a 1,5 m e 2 m a eficácia foi de 92%.
Além do escudo facial, outras medidas, como lavar as mãos e manter o isolamento social, devem ser práticas mantidas.

Fonte: Sputnik News